terça-feira, 9 de setembro de 2008

carta p/ L. em papel azul

Querida,

que durmas com anjos nessa noite de alegrias em cadência azul e única pois é assim que o negro da noite é o azul que pacifica-se escurecendo. Desejo que durmas nessa calma imensidão de azul com anjos pois aqui do meu lado respiras e és angelical dentro da inocência do sono.
Nunca estive tão em paz quanto hoje, dentro desse seu meu azul
nosso azul pequeno e sincero.

hoje eu te amo

Por favor, não desperdicemos juras de amor eterno. Tudo o que existe, um dia finda. Demos graças então, pois ao menos existe algo em nós, mesmo que tão amargamente transitório, como tudo que existe é.

2 comentários:

bulhufas disse...

You should be dancing.
I should be dancing.

Dézinho disse...

Um dia ainda entendo porque eu continuo acreditando que existem coisas que duram pra sempre. Mas eu quero entender pra continuar acreditando, senão não serve. =P
E falando em coisas - e pessoas - que passam... Um certo alguém chegou na minha vida trotando e foi-se a galopes. Me pergunto por onde anda ela agora.
Beijo!
=****************