segunda-feira, 30 de abril de 2012

PEDRA EM PEDAÇO DE PAPEL LARANJA


A minha pedra vem enrolada
Num pedaço de papel laranja
Quer pular para o mundo essa cor de raiva
Essa revolta irracional.

Oho pra dentro de mim e me sinto mal
Quanto mal falta para me completar?

Mas, no descampado do bem,
Fulgura pequena a bandeira do amor.
E meu orgulho fraqueza fraqueja:
Eu mesma: suja como a criança que nasce
Junto às fezes da mãe.
A face do amor fulgura
E a mão da enfermeira a minha vergonha cura
Nas águas correntes da vida que se reinicia.
Estou viva: começa aqui a verdadeira luta.

A minha pedra vem enrolada
Num pedaço de papel laranja
Essa revolta irracionall
Que trago comigo mesma.

Engulo o meu medo
E finalmente digo:
Eu sou o erro.

Um comentário:

Daniel disse...

Nunca entendo nada, mas sempre leio. =)

Semana que vem to na UnB. Vai lá me amar.