sexta-feira, 13 de junho de 2008

carta p/ d.

Bem, eu escrevo porque estou viva e o papel é simbólico. Esse papel passageiro e sagrado como o verbo, mera fumaça que se dissipa negra pela escuridão...

Apesar de todos esses meus pesares, essas lágrimas de sangue que vez ou outra me povoam, eu ainda sei sorrir o deleite do momento e a intensidade de um instante. Viver é aprender a se suportar diante do espelho, é engolir o remédio amargo para sorver a cura. Viver é deixar-se ser.

E estar viva como ser que sou é escrever com êxtase e desespero, é deixar a palavra ser selvagem e carregar a verdade dolorosa. Estar viva é desistir de tudo e ater-se ao detalhe. É deixar-se perder.

Estar viva é amar sem causa ou conseqüência.
Para mim, estar viva é buscar a todo momento aprender a ser livre.

3 comentários:

Dézinho disse...

"Viveeeeeeer... E não ter a vergonha de ser feliz... Cantaaaaaaar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz..." ^^

Bunch o'kisses!

Cilibrino disse...

Oi TT, preciso do seu telefone, pra gente sair. Tô indo pro Oiauí hoje, me liga qualquer coisa. Vou mandar meu fone pro seu e-mail. Beijos linda!

Cilibrino disse...

Nossa, emocionante!